RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

Katharsis como “clarificação”: o papel ético das emoções trágicas a partir da poética aristotélica

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Guterres, Guilherme Santos;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/7882931101053631;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Rohden, Luiz;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/8262728507671434;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials Unisinos;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola de Humanidades;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title Katharsis como “clarificação”: o papel ético das emoções trágicas a partir da poética aristotélica;
metadataTrad.dc.description.resumo Nosso propósito nesta dissertação é, a partir da teoria das tragédias presente na Poética, de Aristóteles, aprofundar as inter-relações entre o conceito de katharsis e a natureza ético-cognitiva das pathé (emoções) propriamente trágicas de piedade (eleos) e medo (phobos). Afirmamos que o papel conferido a essas emoções, tomando o modo como são suscitadas pela estrutura do mythos (enredo) da tragédia, possibilita uma espécie de “clarificação” perceptiva relativa à compreensão de valores práticos. Examinamos, inicialmente, as teses de Gerald Else e Leon Golden, assim como a teoria da katharsis como consta no diálogo Sofista, de Platão. A atenção foi concentrada na segunda e terceira teses, tidas como o status quaestionis sobre a relação investigada, resultando, no posicionamento frente a elas, como um objetivo secundário desta pesquisa. A fim de oferecer uma interpretação específica a respeito da katharsis, argumentamos que o sentido do termo demanda a compreensão sobre a natureza ético-cognitiva da piedade e do medo com base na Retórica e na Ética a Nicômacos. Enquanto elementos complexos que exigem juízos e crenças específicas sobre o mundo, tais emoções são engendradas racionalmente no mythos (enredo) do drama de cunho trágico, de modo a suscitar, no público, determinadas reações. Levando em conta que, para suscitar as emoções trágicas, é preciso 1) apresentar pessoas de bom caráter, 2) mostrá-las passando de boa para má fortuna, aprofundamos essa investigação no último capítulo com base em exemplos de conflitos morais na Antígona, de Sófocles. Por meio do exame de casos particulares de deliberação e resposta afetiva, destacamos 1) que o fator que contribui para a avaliação moral do personagem é sua resposta adequada a determinadas situações de conflito envolvendo não apenas apreciação intelectual, mas, quando for apropriado, reação emocional. A adequação das respostas do personagem à deliberação, determina o seu caráter, este que é central para nossa resposta propriamente trágicas de piedade e o medo. 2) Ao mostrar pessoas de bom caráter passando de boa para má sorte, a tragédia, por meio da piedade e do medo suscitados, nos “clarifica” sobre a vulnerabilidade eudaimonística humana em sentido aristotélico.;
metadataTrad.dc.description.abstract Our purpose in this dissertation is, from Aristotle’s theory of tragedies in Poetics, to deepen the interrelations between the concept of katharsis and the ethical-cognitive nature of the pathé (emotions) especially tragic of pity (eleos) and fear (phobos). We affirm the role given to these emotions, looking the way they are raised by the structure of the mythos (plot) of the tragedy, allows a kind of perceptual “clarification” regarding the understanding of practical values. Initially, we examined the theses of Gerald Else and Leon Golden, as well as the theory of katharsis as contained in Plato’s Sophist dialogue. Attention was focused on the second and third theses, considered as the status quaestionis on the investigated relationship, resulting, in the positioning in front of them, as a secondary objective of this research. In order to offer a specific interpretation regarding katharsis, we argue the meaning of the term demands an understanding of the ethical-cognitive nature of pity and fear based on Rhetoric and Nicomachean Ethics. As complex elements demanding specific judgments and beliefs about the world, such emotions are rationally engendered in the mythos (plot) of the tragic drama, in order to evoke certain reactions in the audience. Considering that, to arouse tragic emotions, it is necessary to 1) introduce people of good character, 2) showing them passing from good to bad fortune, we deepen this investigation in the last chapter based on Sophocles’ examples of moral conflicts in Antigone. Through the examination of particular cases of deliberation and affective response, we highlight 1) that the factor that contributes to the moral evaluation of the character is his adequate response to certain situations of conflict involving not only intellectual appreciation, but, when appropriate, emotional reaction. The adequacy of the character’s responses to deliberation determine his character, which is central to our properly tragic response to pity and fear. 2) By showing people of good character going from good to bad luck, tragedy, by means of pity and fear evoked, “clarifies” us about human eudaimonistic vulnerability in an Aristotelian sense.;
metadataTrad.dc.subject Katharsis; Emoções; Poética; Ética; Aristóteles; Emotions; Poetics; Ethics; Aristotle;
metadataTrad.dc.subject.cnpq ACCNPQ::Ciências Humanas::Filosofia;
metadataTrad.dc.type Dissertação;
metadataTrad.dc.date.issued 2020-08-19;
metadataTrad.dc.description.sponsorship CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/9392;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em Filosofia;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics