Mostrar registro simples

Autor Monticelli, Jefferson Marlon;
Lattes do autor http://lattes.cnpq.br/4655964187026623;
Orientador Garrido, Ivan Lapuente;
Lattes do orientador http://lattes.cnpq.br/0319401801737464;
Instituição Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
Sigla da instituição Unisinos;
País da instituição Brasil;
Instituto/Departamento Escola de Gestão e Negócios;
Idioma pt_BR;
Título The institutional approach on coopetition;
Resumo A coopetição é uma estratégia de relacionamento multifacetada, multinível e paradoxal entre firmas (LUO, 2004; CHEN, 2008; GNYAWALI; PARK, 2009). Apesar do número significativo de estudos relacionados com o conceito, a coopetição é ainda considerada como um conceito em andamento. Os estudos se limitaram em explorar uma série de firmas, principalmente pequenas e médias empresas (PMEs), embora a coopetição possa criar benefícios relevantes para essas firmas (BOUNCKEN et al., 2015). A coopetição deve ser analisar a partir de uma perspectiva multidimensional, considerando a influência de arranjos institucionais em estratégias de competição, cooperação e coopetição entre firmas. Além disso, há um aumento da pressão competitiva. As empresas buscam a coopetição para alcançar um posicionamento no mercado internacional (FESTA et al., 2017). Minha tese foca-se na lacuna que associa coopetição, instituições formais e desempenho internacional, uma vez que os estudos sobre esses construtos são raros e inconclusivos. Desse modo, minha tese objetiva enfatizar como a coopetição influencia a performance na internacionalização de firmas de mercados emergentes considerando o papel da coopetição. Apesar de essa pesquisa focar em diferentes indústrias, as firmas competem e cooperam em uma mesma indústria, caracterizando a coopetição. Conectando os campos teóricos e empíricos, a questão de pesquisa é: “Qual é a relação entre instituições formais e desempenho internacional das firmas de uma economia emergente considerando o papel da coopetição?”. Esta pesquisa está dividida em duas fases: uma etapa qualitativa e uma quantitativa. A etapa qualitativa é exploratório-descritiva. Foi baseada em 21 entrevistas realizadas com representantes de firmas e instituições formais e com pesquisadores acadêmicos para estabelecer um estudo de caso sobre o contexto. A etapa quantitativa foi realizada com a pesquisa com firmas das indústrias de calçado, vinho e tecnologia da informação, resultando em 166 respostas válidas. A técnica de análise aplicada foi a análise de regressão. As principais contribuições deste estudo são duplas. A primeira contribuição é enfatizar o papel das instituições formais na discussão sobre coopetição. A segunda está relacionada com a pesquisa sobre coopetição associada com a performance na internacionalização de firmas. Poucos estudos lidam com a performance das firmas e geralmente focam-se no desempenho de inovação (GNYAWALI; PARK, 2009; GNYAWALI et al., 2008). Como resultado, é apresentado um quadro que sustenta o conceito de abordagem institucional. Além disso, os resultados mostraram uma relação direta ente instituições formais e desempenho internacional mediada pela coopetição. As limitações deste estudo baseiam-se no fato de a investigação ter ocorrido em um único país. Ao final deste estudo, outros caminhos de investigação surgiram. Em primeiro lugar, esta pesquisa focou-se no nível entre firmas, desconsiderando os níveis individuais, intrafirmas e de rede. Segundo, a coopetição como contexto poderia analisar cadeias de agentes que adicionam valor às firmas (BRANDENBURGER; NALEBUFF, 1995).;
Abstract Coopetition is a multifaceted, multilevel, and paradoxical strategy of relationship between firms (LUO, 2004; CHEN, 2008; GNYAWALI; PARK, 2009). Despite the significant number of studies related to the concept, coopetition is still considered as a concept in progress. Studies have been limited in exploring a variety of firms, mainly small and medium enterprises (SMEs), although coopetition can generate relevant benefits for these firms (BOUNCKEN et al., 2015). Coopetition must be analyzed from a multi-dimensional view, considering the influence of institutional arrangements on competition, cooperation, and coopetition strategies between firms. Moreover, there is an increased competitive pressure. Firms search for coopetition to gain positioning in international markets (FESTA et al., 2017). My thesis focus on the gap that associates coopetition, formal institutions, and international performance because there are rare and inconclusive studies about these constructs. Thus, this thesis aims to highlight the relationship between formal institutions and international performance of firms from an emerging economy taking into account the role of the coopetition. Although this research focuses on different industries, they compete and cooperate in the same industry, characterizing coopetition. While connecting theoretical and empirical topics, the research question is the following: what is the relationship between formal institutions and international performance of firms from an emerging economy taking into account the role of the coopetition? This research is divided into two stages: a qualitative and a quantitative step. The qualitative stage is exploratory-descriptive. It was based on 21 interviews realized with representatives from firms and formal institutions and academic researchers to establish a case study about the context. The quantitative stage was carried out with the survey with firms from footwear, winery, and information technology industries, resulting in 166 valid responses. The analysis technique applied was regression analysis. The main contributions of this study are twofold. The first contribution is to stress the role of formal institutions in the discussion about coopetition. The second contribution is related to the research about coopetition associated with the performance in the internationalization of firms. Few studies deal with firm performance and usually focus on the innovation performance (GNYAWALI; PARK, 2009; GNYAWALI et al., 2008). As a result, a framework supporting the concept of Institutional Approach is presented. Also, results showed a direct relationship between formal institutions and international performance mediated by coopetition. Limitations of this study are based on the investigation to have occurred in a single country. At the end of this study, other avenues of the investigation appeared. First, this research focused on the inter-firm level, disregarding individual, intrafirm and network levels. Second, coopetition as context could analyze chains of agents that add value to the firms (BRANDENBURGER; NALEBUFF, 1995).;
Palavras-chaves Coopetição; Instituições formais; Desempenho internacional; PMEs em economias emergentes; Coopetition; Formal institutions; International performance; SMEs in emerging economies;
Área(s) do conhecimento ACCNPQ::Ciências Sociais Aplicadas::Administração;
Tipo Tese;
Data de defesa 2017-12-11;
Agência de fomento Nenhuma;
Direitos de acesso openAccess;
URI http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/6883;
Programa Programa de Pós-Graduação em Administração;


Arquivos deste item

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Buscar

Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística