RDBU| Repositório Digital da Biblioteca da Unisinos

Respostas fisiológicas de moringa oleifera lam. e suas interpretações para o cultivo e utilização da espécie no clima tropical continental do estado do Mato Grosso, Brasil

Show simple item record

metadataTrad.dc.contributor.author Bernardi, Claudio João;
metadataTrad.dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/0812668411119017;
metadataTrad.dc.contributor.advisor Valiati, Victor Hugo;
metadataTrad.dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/0352640252677539;
metadataTrad.dc.publisher Universidade do Vale do Rio dos Sinos;
metadataTrad.dc.publisher.initials Unisinos;
metadataTrad.dc.publisher.country Brasil;
metadataTrad.dc.publisher.department Escola Politécnica;
metadataTrad.dc.language pt_BR;
metadataTrad.dc.title Respostas fisiológicas de moringa oleifera lam. e suas interpretações para o cultivo e utilização da espécie no clima tropical continental do estado do Mato Grosso, Brasil;
metadataTrad.dc.description.resumo A moringa (Moringa oleifera Lam.) é uma espécie perene, da família Moringaceae, originária do nordeste indiano, amplamente distribuída na Índia. Adapta-se a uma ampla faixa de solos. Trata-se de uma planta de múltiplo uso sendo quase todas as partes com valor alimentar e medicinal. As suas sementes possuem importância industrial para a produção de óleo. No Brasil, M. oleifera é conhecida no Estado do Maranhão desde 1950 e utilizada principalmente no tratamento de água. Para cultivo de uma espécie de propagação sexuada é primordial o conhecimento do processo germinativo. Este estudo avaliou as respostas fisiológicas e reprodutiva de Moringa oleifera e seu cultivo nas condições edafoclimáticas da região Centro oeste do Brasil, desenvolvendo o estudo em três etapas. a) seleção das sementes; b) Germinação e crescimento; c) fenologia. No presente trabalho, as sementes foram divididas em três grupos L (leve), M (média) e P (pesada) de acordo com seu peso fresco. As sementes L representam 14,04%, as subamostras M, 68,06% e as subamostras P, 17,90% do total de sementes amostradas. As sementes da subamostra L apresentaram em média 23,54% de água e de matéria orgânica 94,73%. As sementes da subamostra M apresentam em média 42,28% de água e 93,21% de matéria orgânica em média. As sementes da subamostra P apresentam em média 33,66% de água e 93,91% de matéria orgânica. Para a germinação avaliou-se a influência da profundidade, da posição de semeadura a influência da luz, temperatura (ambiente) e massa das sementes. A germinação apresentou o sistema de três fases. O início da fase I foi observado absorção de água. Após as 24 h as sementes, passaram a fase II, na qual registrou-se uma redução na absorção de água mantendo-se quase que constante a massa das sementes e na fase III a germinação. O Índice de Velocidade de Germinação (IVG) das sementes L apresentou como média das cinco repetições 55,39, sementes M 79,19 e para as sementes P 79,17. O percentual de germinação considerando a média entre os tratamentos, profundidade e posição do hilo percentual de germinação da semente L foi de 68,5%, M de 86,7% e P de 88,3%. Em relação ao crescimento, o experimento foi dividido em duas etapas: Crescimento primário que compreende os primeiros seis meses e crescimento secundário que corresponde ao período após a transferência de 112 mudas para área de plantio. as duas etapas do experimento apresentaram aumento do volume, peso e tamanho. A fenologia reprodutiva e a biologia da polinização foram observadas em área de plantio experimental, no qual 112 indivíduos foram marcados e acompanhados quinzenalmente para as observações dos estudos fenológicos. Para o estudo da morfologia e anatomia florais, flores e inflorescências foram marcadas e acompanhadas até a formação dos frutos. Os visitantes florais foram observados ao longo do período do experimento, anotando-se a frequência, o horário e o comportamento de suas visitas. A Moringa oleifera demonstrou padrão de floração, sub-ramal, de duração intermediária. Os atributos florais estão relacionados à síndrome da melitofilia. A antese ocorre predominantemente entre às 06h00 e 12h00, observando-se a presença de néctar desde a fase de pré-antese. As flores foram visitadas por quatro gêneros de hemíptero, seis de lepidópteros e duas espécies de aves e se apresentou bem adaptada no clima da região.;
metadataTrad.dc.description.abstract The Moringa (Moringa oleifera Lam.) is a perennial species, of Moringaceae family, originating of Indian northeast region, widely distributed in India. It can adapt to a wide range of soils. It is a multipurpose plant with almost all parts having food or medicinal value and its seeds have industrial importance to vegetable oil production. In Brazil, the M. oleifera is known at Maranhão state since 1950 and it is used mainly in the water treatment. Cultivation of sexual propagation species is essential knowledge of the germinal process. In the current work, the seeds were divided in three groups L (light), M (medium) e P (heavy) according their fresh weight. The L subsample represented 14.04%, the M subsample 68.06% and the P subsample 17.90%. The seeds of L subsample presented in average 23.54% of water and 94.73% of organic material. The seeds of M subsample presented in average 42.28% of water and 93.21% of organic material. The seeds of subsample P presented in average 33.66% of water and 93.91% of organic material. For germination were evaluated the influence of depth, sowing position, the influence of light, temperature and seed weight. The germination presented the three-phase system. The begin of phase one was observed after one hour. After 24 h the seeds passed to phase II, which were registered a reduction in water absorption keeping the weight of the seeds almost constant. After five repetition, in average, the Germination Speed Index (GSI) of L seeds presented 55.39, M seeds 79.19 and P seeds 79.17. The germination percentage considering the average among treatments, depth and position of the hilum of L seeds were 68.5%, M seeds were 86.7% and P seeds were 88.3%. For growth, the experiment was divided into two stages: Primary growth comprising the first six months and secondary growth when transferring 112 seedlings to planting area. Both experiments presented increase of volume, weight and size. Reproductive phenology and pollination biology were studied in an experimental planting area, in which 112 individuals were tagged and monitored fortnightly for observations of phenological studies. For the study of floral morphology and biology, flowers and inflorescences were tagged and monitored until fruit formation. Floral visitors were observed throughout the experiment, noting the frequency, time and behavior of their visits. Moringa oleifera demonstrated sub-branch flowering pattern of intermediate duration. Floral attributes are related to melithophilia syndrome. The anthesis occurs predominantly between 06h00 and 12h00, observing the presence of nectar from the pre-anthesis phase. The flowers were visited by four genera of Hemiptera, six of Lepidoptera and 2 species of birds.;
metadataTrad.dc.subject Sementes; Germinação; Crescimento; Fenologia; Seeds; Germination; Growth; Phenology;
metadataTrad.dc.subject.cnpq ACCNPQ::Ciências Biológicas::Biologia Geral;
metadataTrad.dc.type Tese;
metadataTrad.dc.date.issued 2020-02-28;
metadataTrad.dc.description.sponsorship Nenhuma;
metadataTrad.dc.rights openAccess;
metadataTrad.dc.identifier.uri http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/9199;
metadataTrad.dc.publisher.program Programa de Pós-Graduação em Biologia;


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search

Advanced Search

Browse

My Account

Statistics